Encontro com a Palavra de Deus – III DOMINGO DA PÁSCOA – ANO B

III DOMINGO DE PÁSCOA

    

15 de Abril de 2018

 

 

AS LEITURAS DO DIA 

Act 3, 13-15.17-19: Matastes o autor da vida, mas Deus ressuscitou-o dos mortos.

Salmo 4: Fazei brilhar sobre nós, Senhor, a luz do vosso rosto.

1Jo 2, 1-5: Ele é a vítima de propiciação pelos nossos pecados.

Evangelho: Lucas 24, 35-48: Tem de se cumprir tudo o que está escrito a meu respeito.

 

A PALAVRA É MEDITADA

Conheciam-no bem, depois de três anos passados com Ele, nas estradas, nas oliveiras, nos peixes, nas aldeias, de olhos nos olhos, e no entanto não o reconhecem.

Jesus é o mesmo e é diverso, é o mesmo e está transformado, é aquele de antes e é outro. Porque a Ressurreição não é simplesmente um voltar à vida de antes: é ir em frente, é transfiguração, é adquirir algo a mais. Energia em movimento que Jesus não tem para si, mas que estende a toda a criação, toda tomada e por nós compreendida, dentro do seu ressurgir e arrastada para o alto, para formas mais luminosas.

Paz, é a primeira palavra do Ressuscitado. E repete-a em cada encontro: entro na igreja, abro o Evangelho, desço no silêncio do coração, reparto o pão com o faminto. São muitas as estradas que o Encaminhado percorre, mas de cada vez, sempre, em cada encontro acolhe-nos como um amigo sorridente, de braços abertos, com palavras que oferecem bem-estar, paz, plenitude, harmonia. Acreditar nele faz bem à vida. Quer contagiar-nos de luz e contaminar-nos de paz.

Ele sabe bem que são os encontros que mudam a vida dos seres humanos. De facto, vai ter com os seus, mestre de encontros, com a sua pedagogia real que não prevê pedidos ou injunções, mas comunhão. Vem e partilha pão, olhares, amizade, palavra, paz. O papel dos discípulos é não se defenderem, não s envergonharem, mas despertar do sono: tocai, vede, olhai, comamos juntos.

«Tocai-me, olhai». Mas como tocá-lo hoje, onde vê-lo? Ele está no grito vitorioso da criança que nasce e no último respiro do moribundo, que recolhe com um beijo. ...

«Não sou um fantasma» é a lamentação de Jesus, e aí ressoa o desejo de ser abraçado forte como um amigo que volta de longe, de ser apertado com o entusiasmo de quem te quer bem. Não se ama um fantasma.

«Comamos juntos». Este pequeno sinal do peixe assado, os apóstolos o darão como prova decisiva: comemos com Ele depois da sua ressurreição (At 10,41). Porque comer é o sinal da vida; comer juntos é o sinal mais eloquente de uma comunhão reencontrada, o gesto que liga, guarda e aumenta as vidas. O alimento é uma realidade santa. Santa porque faz viver. E que o homem viva é a primeira de todas as leis, da lei de Deus e das leis humanas.

 

A PALAVRA É REZADA

Cristo ressuscitou verdadeiramente, triunfa a vida,

abre-se o caminho de uma nova definitiva aventura.

Ressuscitado é o Mestre, ressurge a história,

cores de festa, tudo ao redor ri de alegria.

Cantai, ó céus, a vitória sobre a morte,

cantai irmãos o Cristo Senhor,  

a Palavra manteve a palavra, a pedra foi removida,  

agora é tempo de desafios exaltantes,  

agora o Evangelho corre veloz.

Companheiros do Mestre agarrai o seu Verbo,

anunciai ao errantes o regresso a casa,

o pai está pronto desde sempre,

o anseio preparado para o feliz regresso.

Anunciai que o Senhor se fez ver,  

ressuscitado mostrou as chagas passadas,  

feridas de cruz, oferta de amor.

Gritai que pelas suas chagas fomos salvos.

Ámen.

 

 

 (In Qumran, e La Chiesa: tradução livre de fr. José Augusto)

 


eşya depolama izmir escort kartal escort gebze escort antalya escort şişli escort ümraniye escort anadolu yakası escort saç ekimi porno mecidiyeköy escort anadolu yakası escort 1xbet best10
gaziantep escort