Encontro com a Palavra de Deus – XXV Domingo do Tempo Comum - ANO A

XXV DOMINGO TEMPO COMUM – ANO A

    

                           20 de Setembro 2020

 

AS LEITURAS DO DIA 

Is 55, 6-9: Os meus pensamentos não são os vossos.

Salmo 144: O Senhor está perto de quantos o invocam.

Filip 1, 20-24.27: Para mim viver, é Cristo.

Evangelho Mt 20, 1-16: Serão maus os teus olhos porque eu sou bom?

 

 

A PALAVRA É MEDITADA

O Reino não é um lugar de tranquila inatividade, de pura contemplação, mas um lugar onde é pedido para trabalhar. Não se pode ficar na praça desocupados, todos somos chamados a trabalhar pelo Reino. Ninguém está excluído do Reino e ninguém está dispensado de trabalhar pelo Reino. Não existe um lugar ou um tempo privilegiado para entrar na dimensão do Reino: a praça é o lugar do encontro, como qualquer hora do dia.  

É precisa uma maior atenção aos lugares e aos tempos dos homens; é na nossa dimensão da história e sobre esta terra, no concreto da vida quotidiana que Deus encontra o homem para o chamar do seu reino. A paga não corresponde à fadiga e ao produto realizado. Hoje falamos tanto de produtividade, de rendimento reduzindo o ser humano a uma máquina de produção: vales se produzes.  

Quem é excluído do ciclo produtivo é um lastro para a sociedade. O critério retributivo dos homens não entra na justiça de Deus que olha para outra coisa. A justiça de Deus é graça, olha à capacidade de acolher o dom. a paga não é recompensa por um trabalho feito, é antes a resposta à necessidade de cada um. Quem considera que merece mais porque pensa ter acumulado méritos é lançado fora: "vai-te daqui!", é convidado a tomar o que é seu e deixar a vinha, que goze também da consideração de si mesmo, mas fora do Reino. A lógica de Deus não é a lógica dos homens, e, no entanto, passaram-se séculos, e ainda, embora chamando-nos cristãos, brincamos com a terra, o tempo, a história na tentativa sabe-se lá de que escalada, para chegar quem sabe aonde. Talvez cheguemos a gozar daquilo que conquistámos, mas perdemos a "graça de Deus”.

 

 

A PALAVRA É REZADA

 

Senhor da vinha, Deus de consolação e de justiça,

és imprevisível e agradas-me assim.

Porque tu não olhas para o proveito, fortuna sempre em perigo;

tu olhas para o coração dos filhos que esperam,

como pardais privados de penas, uma espiga de grão para debicar.

Todos os pardais são iguais:

quando têm fome procuram comida;

os das gaiolas, onde tudo é seguro desde a primeira hora,

e aqueles que o pardal mãe,

para procurar alimento vai longe

e talvez regresse com a asa partida — se voltar—

por um tiro de espingarda.

Meu Deus, amo-te porque não tens jogo duplo

do dar e do ter, das horas de trabalho e do salário.

Tu és Pai que dá alimento ao filho que já corre nos campos

e ao recém-nascido que sonha e faz sonhar.

Senhor, faz que nunca a tua Igreja seja uma empresa,  

mas uma casa onde existe um coração e um pão para todos.

Ámen

 

 

(In Qumran, e La Chiesa: tradução livre de fr. José Augusto)

 


eşya depolama izmir escort kartal escort gebze escort antalya escort şişli escort ümraniye escort anadolu yakası escort saç ekimi porno mecidiyeköy escort anadolu yakası escort 1xbet best10
gaziantep escort