Encontro com a Palavra de Deus – Solenidade da Epifania - ANO A

SOLENIDADE DA EPIFANIA – ANO A

    

                           5 Janeiro 2020

 

AS LEITURAS DO DIA 

Is 60, 1-6: Brilha sobre ti a glória do Senhor.

Salmo 71: Virão adorar-vos Senhor, todos os povos da terra.

Ef 3, 2-3.5-6: Os gentios recebem a mesma herança prometida.

Evangelho Mt 2, 1-12: Viemos do oriente adorar o Rei.

 

A PALAVRA É MEDITADA

Uma estrela que surge no Oriente, ali onde o sol nasce. E o Sol de verdade nasceu, a luz inefável de um Deus que deseja participar-nos a sua vida. Homens que se metem a caminho, orientados pela luz que vem do alto, a luz de uma estrela. Os magos dão por descontado que todos esperam a estrela de Jacob e vão perguntar ao rei da Judeia. Podia o rei Herodes não ficar perturbado? Só a palavra “rei dos judeus” o deixa em ânsia.  

Buy a gorgeous TAG Heuer or Rolex Replica Watches and feel free to shop a large selection online with a variety of super low discounts https://www.sellreplicawatches.co.uk/.

Ele não sabe nada desta coisa, e o seu reino vai. Compreende que os magos falam do Messias, e as informações sobre o lugar são dadas pelos textos sagrados. Sabido o lugar: Belém, não resta mais que saber o tempo. E isto pergunta-o aos sábios, secretamente. Tempo e lugar: as coordenadas de toda a vida humana. Deus faz-se pequeno, entrando no limite de um tempo e de um lugar. A astúcia para ter mais informações é subtil: fazei-mo saber, para que também eu vá adorá-lo. Porque é que a estrela se tinha escondido aos seus olhos deviam passar necessariamente por Herodes, pelos escribas e pelos fariseus, porque Deus não escolhe o caminho do extraordinário, entra nas acções humanas.  

Do Oriente até Jerusalém a estrela tinha sido necessária: o céu tinha comunicado com eles, segundo a linguagem que eles podiam decifrar. Em Jerusalém a linguagem pertence aos chefes do povo e aos sacerdotes. Saindo, a estrela volta a guiar os seus passos, porque se o sentido da meta lhes tinha vindo dos chefes de Jerusalém, o sentido da luz iniciado era “pessoal”. A relação com Deus é sempre um tu a Tu, mesmo se isto se contextualiza numa história mais ampla que é a de um povo.

O menino chama os magos, é Ele a estrela que brilha e expande os seus raios por toda a parte. Quem conhece a luz, segue-a; quem não a conhece, confunde-a com qualquer coisa de puramente natural, e perde o seu esplendor. O sinal discriminante é a ressonância que se dele se dá. Os magos, ao ver a estrela, sentiram uma grandíssima alegria. Uma alegria que só pode vir do alto. Diante daquele menino abrem-se os cofres da adoração: ouro, incenso e mirra. O encontro com o menino abre uma estrada diversa para os magos, que não passa mais pelas mediações antigas. Deus encontrou pessoalmente o seu coração.

 

 

A PALAVRA É REZADA

 

O sol alua e as estrelas…  

Primeiros esboços dos nossos desenhos de crianças…  

Quotidianamente presente às realidades da cultura,

sinais do dia e da noite, direção a seguir para os navegantes...

também aos pastores Deus dá um sinal, e os magos seguem a estrela.  

A nós, Jesus pede para vigiar para perceber os sinais,

para estar despertos e manter-nos prontos.  

Mas os sinais de Deus não são só os do céu e da terra.  

São aqueles que se encontram no íntimo de cada homem  

e que fazem com que também no coração da noite,  

nas situações mais duras pelo desespero,  

arda um brilho, vacile uma chama, germine a esperança.  

A nós toca ser os seus descobridores,  

Ser as suas testemunhas e os artesãos,

Sinais de esperança nunca extinta.

Ámen                                

 

(In Qumran, e La Chiesa: tradução livre de fr. José Augusto)

 


eşya depolama izmir escort kartal escort gebze escort antalya escort şişli escort ümraniye escort anadolu yakası escort saç ekimi porno mecidiyeköy escort anadolu yakası escort 1xbet best10
gaziantep escort