Encontro com a Palavra de Deus – XVIII DOMINGO TEMPO COMUM – ANO A

XVIII DOMINGO TEMPO COMUM – ANO A

Festa da Transfiguração

    

6 de Agosto de 2017

 ANO A

 

AS LEITURAS DO DIA 

Dan 7,9-10, 13-14: Tinha vestes brancas de neve.

Salmo 96: O Senhor é rei, domina sobre toda a terra.

2Pedro 1, 16-19: Ouvimos esta voz vinda do céu.

Evangelho: Mt 17, 1-9: O seu rosto ficou resplandecente como o sol.

 

A PALAVRA É MEDITADA


Os Hebreus tinham uma concepção particular do seu Deus. O deles era um Deus vitorioso, poderoso, triunfante, capaz de abater todos os seus inimigos. Deus é assim, uma potência universal, criadora, regeneradora, destruidora, salvadora.

Também o profeta Isaías exalta Deus nesta sua omnipotência que se manifesta na história: "No ano em que morreu Ozias, vi o Senhor sentado num trono alto e elevado; as orlas do seu manto enchiam o templo … Por cima estavam serafins … proclamavam um ao outro, dizendo: «Santo, santo, santo o Senhor Deus dos exércitos! Toda a terra está cheia da sua glória» " (Is 6,1-3). Os exércitos são as hostes celestiais, sempre prontas a combater as batalhas do nosso Deus.

Vem jesus e que coisa fez? Em vez de falar de um Messias capaz de mostrar toda esta divina omnipotência para a destruição dos inimigos do povo de Deus, fala de um Enviado de Deus humilhado, esmagado, crucificado, aniquilado, vendido, traído, renegado, entregue. É o escândalo. Não é este o messias prometido e esperado.

Diante de um Messias crucificado o risco é só um: o abandono dos discípulos, assim como um dia fizeram os dois de Emaús. Jesus previne este abandono, conduzindo Pedro, Tiago e João ao monte, mostrando-lhes a sua glória, fazendo intervir Moisés e Elias, a Lei e os Profetas e o próprio Pai celeste, os quais atestam a verdade do messias do Senhor no mistério da sua crucifixão. A verdadeira fé ainda não nasceu no coração dos discípulos, estes agora sabem porém que Deus está do lado de Jesus e também toda a revelação feita até agora. É um bom início.

A PALAVRA É REZADA

A tua Transfiguração, Cristo,

lança uma luz fulgurante sobre a nossa vida quotidiana

e faz-nos dirigir a mente para o destino imortal  

esboçado neste evento.

No cimo do Tabor, tu, Cristo,

Revelas por algum instante o esplendor da tua divindade

e manifestas-te às testemunhas escolhidas  

tal como realmente és, o Filho de Deus,

«a irradiação da glória do Pai e a marca da sua substância».

Mas fazes ver também o transcendente destino

da nossa natureza humana que assumiste para nos salvar,  

destinada também ela, porque redimida  

pelo teu sacrifício de amor irrevogável,  

a participar na plenitude da vida,  

na «sorte dos santos na luz».

Aquele corpo, que se transfigura diante dos olhos dos apóstolos,  

é o teu è corpo, o Cristo nosso irmão,  

mas é também o nosso corpo chamado à glória:

aquela luz que o inunda é e será também  

a nossa parte de herança e de esplendor.

Somos chamados a partilhar tanta glória

porque somos «participantes da natureza divina».

Uma sorte incomparável nos espera  

se tivermos feito honra à nossa vocação cristã.

Maria, que contemplas no céu a glória de Cristo transfigurado,  

Dirige a todos o teu olhar e a tua protecção:

ensina-nos a meditar estas estupendas realidades da nossa fé.

(Paulo VI)

 

Ámen


(In Qumran, e La Chiesa: tradução livre de fr.
José Augusto)


eşya depolama izmir escort kartal escort gebze escort antalya escort şişli escort ümraniye escort anadolu yakası escort saç ekimi porno erotik film mecidiyeköy escort anadolu yakası escort 1xbet best10 erotik film
gaziantep escort