O QUE É QUE PROCURO?

Juvem, que procuras?

 

4 Janeiro 2019

Do Evangelho de João (1,35-42)


No dia seguinte, João encontrava-se de novo ali com dois dos seus discípulos. Então, pondo o olhar em Jesus, que passava, disse: «Eis o Cordeiro de Deus!» Ouvindo-o falar desta maneira, os dois discípulos seguiram Jesus. Jesus voltou-se e, notando que eles o seguiam, perguntou-lhes: «Que procurais?» Eles disseram-lhe: «Rabi - que quer dizer Mestre - onde moras?» Ele respondeu-lhes: «Vinde e vereis.» Foram, pois, e viram onde morava e ficaram com Ele nesse dia. Eram as quatro da tarde. André, o irmão de Simão Pedro, era um dos dois que ouviram João e seguiram Jesus. Encontrou primeiro o seu irmão Simão, e disse-lhe: «Encontrámos o Messias!» - que quer dizer Cristo. E levou-o até Jesus. Fixando nele o olhar, Jesus disse-lhe: «Tu és Simão, o filho de João. Hás-de chamar-te Cefas» - que significa Pedra.

 


======///=======///=======///========== 



«Que procurais?». Eis a pergunta que Jesus dirige a estes primeiros dois discípulos que, um pouco hesitantes se puseram a segui-lo intuindo pela sua estrada mais autêntica, fascinante do único e verdadeiro Mestre a quem vale a pena juntar-se.

 
Afinal de contas esta é também a verdadeira e primeira pergunta que todo o jovem "em procura" vocacional e que se interroga sobre uma possível escolha de consagração franciscana (torno-me frade?) deve sentir-se dirigir da parte de Jesus: “que coisa está procurando verdadeiramente?”

 

  • O que é que estou procurando da própria vida?
  • O que é que estou procurando nas minhas questões e inquietações?
  • O que é que procuro nas tantas relações e conhecimentos?
  • O que é que procuro no meu empenhar-me no estudo ou no trabalho?
  • O que é que estou procurando quando me impeço de viver verdadeiramente?
  • O que é que procuro também no pecado ou nas fugas ou nas desorientações em que me refugio?
  • O que é que estou procurando na minha juventude e par ao meu futuro?
  • Que coisa e onde é que estou procurando para uma vida de verdade plena e bela?
  • O que é que estou procurando e pedindo a Jesus na minha oração?

 

Encontrar Cristo significa portanto, ainda antes de encontrar resposta, sentir-se dirigir esta pergunta: «O que procuras?». 

Os discípulos iniciam a sua experiencia de sequela e amizade quando se deixam meter em crise precisamente por tal interrogação e sobretudo quando a acolhem não como uma qualquer e pré confeccionada explicação, mas como um convite para uma experiência concreta: “Vinde e vereis”. (Jo 1,35-42).

 


Caro amigo "à procura", se também o teu coração está cheio de inquietações e desejos, deixa-te envolver primeiro por esta pergunta, «O que procuras?».

 
Presta atenção e não rejeites o convite de Jesus - "vem e verás"-: deixa-te também tu colocar em crise sem, de vez em quando, escapar ou adiar. O caminho para compreender a tua vocação, de facto, não pode passar de uma experiência, um caminho, um envolvimento de vida, da partilha de um pedaço de estrada com jesus e outros irmãos...de uma assunção de responsabilidade!


A tal propósito, o percurso do Grupo vocacional São Damião, que nós frades franciscanos propomos é certamente uma bela oportunidade em que este convite de Jesus, “Vinde e vereis”, se concretiza e ganha forma.

Os encontros mensais e os vários momentos em que é ritmado, são caracterizados, mais que por respostas fabricadas, pré construídas, por um caminhar juntamente com outros jovens, pela partilha connosco frades e pela nossa vida fraternapela escuta da Palavra, pela adoração e pela oração e, em definitiva, por um estar em companhia do Senhor.


A meta, que é a própria escolha vocacional, não é com certeza dada imediatamente nem sugerida, nem muito menos imposta, mas procurada juntos, experimentada, ganha e sofrida num itinerário propositadamente comprometedor e longo (dura um ano) para assim chegar àquilo que de verdade corresponde ao teu coração e aos teus desejos mais profundos.

Caro amigo "à procura" se estás interessado neste itinerário vocacional franciscano...faz-te vivo, nós frades seremos felizes de caminhar contigo.

 

 

CONTACTOS EM PORTUGAL

Para mais informações podes contactar:

 

fr. José Carlos Matias - Viseu

tel. 232. 431 985            ou      freizecarlos@gmail.com

 

frei Pedro Perdigão - Coimbra

tel. 239. 713 938            ou      fmcpedro@gmail.com

 

frei André Scalvini – Viseu     

tel. 232. 431 985          ou      skand83@gmail.com                         

 

frei Tiberio Zilio – Lisboa         

tel. 21. 837 69 69            ou          tiberiozilio@gmail.com