Encontro com a Palavra de Deus – III Domingo do Advento - ANO B

III DOMINGO DO ADVENTO – ANO B

    

                           13 dezembro 2020

 

AS LEITURAS DO DIA 

Is 61, 1-2.10-11: Exulto de alegria no Senhor.

Salmo, Lc 1, 46-48: A minha alma exulta no Senhor.

1Tes 5, 16-24: Todo o nosso ser se conserve para a vinda do Senhor.

Evangelho Jo 1, 6-8.19-28: No meio de vós, está alguém que não conheceis.

 

 

A PALAVRA É MEDITADA

O Evangelho de hoje apresenta-nos João Baptista como testemunha, alguém que viu vir a luz e anuncia a todos.

O povo que o escuta é entusiasta e dado que está impaciente, espera aquilo que deve vir precisamente dele. Eis por que quem vem interroga-lo lhe pergunta se ele é Elias ou um profeta, mas João responde com firmeza e de modo sempre mais sintético que ele não é nada de tudo aquilo que esperam. Na realidade teria podido dizer que era um profeta ou um novo Elias, como dirá dele o próprio Jesus quando afirma aos seus discípulos que "Elias já voltou, mas fizeram aquilo que quiseram".

Não é fácil responder à pergunta: "Quem és?", e se depois os outros tentam exaltar-te dizendo que és uma pessoa importante, é fácil montar-se a cabeça e pensar que se é importante verdadeiramente. João não cai nesta ratoeira. Permanece muito humilde, e no final diz que ele é apenas "Voz".

Ele é só um instrumento nas mãos de Deus para ser porta-voz de Deus, para anunciar a sua vinda e para convidar todos a preparar-se para o acolher. É bom que também nós nos coloquemos esta pergunta: quem sou eu?

Diz também que aquele que deve vir já está no meio de nós, mas nós não o conhecemos, e consequentemente não o vemos. Por isso é importante também hoje anunciar e preparar a sua vinda. Nunca ninguém pode dizer: "Praticamente já o conheço, sei tudo sobre Ele". Façamos o possível por descobrir a sua presença à nossa volta.

Senhor vem e ajuda-nos a conhecer-te.

A PALAVRA É REZADA

 

Guerras, crises, famílias destruídas:
quantas noticias más!

Ma eu, o que posso fazer?
Jesus ensina-mo:
é preciso amar!

Amar...não é só uma palavra,
mas regra a viver
na família, no trabalho, na escola.

Nas pessoas que coloca ao meu lado
Jesus está presente;
peço licença e reconheço-o,
assim não serei mais um intruso.

Às vezes custa fadiga pedir desculpa
e dar o perdão,
mas torna o coração
mais leve e bom.

Muitas vezes aquilo que recebo o dou por descontado:
se aprendo a dizer "Obrigado"
reconheço os dons que Deus me deu.

Eis as três palavras que o Papa nos aconselhou
para assemelhar à família
em que Jesus nasceu; pequenos sinais de amor
para reviver o nascimento
de nosso Senhor!

Ámen      

 

 

(In Qumran2.net, e La Chiesa.it: tradução livre de fr. José Augusto)