Encontro com a Palavra de Deus – VII Domingo do Tempo Comum

19 de Fevereiro de 2017       
ANO A

AS LEITURAS DO DIA 

Lev 19, 1-2.17-18: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.        
Salmo 102: O Senhor é clemente e cheio de compaixão.  
1 Cor 3, 16-23: Tudo é vosso; vós sois de Cristo; Cristo é de Deus.
Evangelho Mt 5, 38-48: Amai os vossos inimigos. 

A PALAVRA É MEDITADA    

A página do evangelho que leremos no próximo domingo, é com certeza um dos textos mais conhecidos quer dos crentes, quer dos não crentes, seja na cultura ocidental que oriental, conhecido por cristãos e não cristãos. Enfim, o famoso ditado “dá a outra face” não conhece limites étnicos ou geográficos nem culturais ou religiosos. Frequentemente porém, o reduzimos a um simples provérbio, ou pior ainda, a um ícone de um estilo de vida para pessoas perdedoras, quase como se Jesus quisesse uma comunidade de “otários” sempre prontos a fazer-se bater mesmo sem sentido. 

Quanto afinal é revolucionária esta palavra de Jesus! Pinta perfeitamente o sonho de Deus, ou seja fazer do mundo uma só família, em que Ele só é o papá de todos e nós filhos e filhas amados, irmãos e irmãs entre nós. Mas para realizar este sonho é preciso revirar a estrutura da sociedade, cultural e religiosa que temos e colocar Deus no centro, incarnando o estilo de vida do seu Filho Jesus. Se relemos bem, as coisas que o Mestre nos pede são simplicíssimas, aliás pouco óbvias, e no entanto, depois de mais de dois mil anos, estas palavras ressoam ainda incómodas e distantes do nosso modus vivendi.     

Para compreender as indicações inicias de Jesus é preciso talvez partir da conclusão porque está precisamente ali a chave de leitura: amar a todos, não só quem nos ama! Amar e amar enquanto o coração não fizer mal, postar tudo não sobre como jogos em que o resultado já é dado pro descontado, mas arder de amor por quem talvez nunca nos retribuirá, por quem hoje nos causa dor e sofrimento, por quem agora sentimos inimigo da nossa felicidade.                 

Eis a revolução de Deus! Amai ali onde parece impossível fazê-lo, disto compreenderão que sois meus discípulos! Mas como é que se faz?Uma vez mais, Jesus vem em nossa ajuda…       

Eis como se faz: “a quem te quiser levar a tribunal e tirar-te a túnica, tu deixa também o manto. E se alguém te obrigar a acompanhá-lo por uma milha, tu com ele faz duas. Dá a quem te pede, e a quem deseja de ti um empréstimo não lhe vires as costas”. Encontra sempre uma solução de amor para os problemas! Terás dificuldades com abundância e obstáculos durante o caminho, mas se a cada ataque responderes com o bem desarmarás quem te quer fazer mal. Se te opões com força ao maligno, fazes o seu jogo, é aquilo que ele espera: golpe atrás de golpe. Mas se te entregas ao Amor, docilmente, sem reagir a não ser com a perseverança do coração que bate, então desarmá-lo-ás, obrigá-lo-ás a mudar de estratégia, a violência (verbal, psicológica, espiritual, física) não poderá mais utilizá-la contigo porque tu voas alto, estás noutro lado. Que maravilha!  

Certamente não é fácil mas o Amor aprende-se com um passo de cada vez, constrói-se caminhando, quanto mais o experimentas, mas o contagiarás a outros. Um provérbio africano diz: “Se tens um só dente na boca, usa esse para sorrir!”, basta pouco, não?      

A PALAVRA É REZADA         

Ó Jesus, não é fácil amar como o Pai celeste,

aliás é literalmente impossível  

se tu não iluminas a nossa mente

e não susténs a nossa vontade com a tua graça.

Só assim é possível amar  

e tender para a perfeição do Pai.  

Vem a nós, Jesus,

e ajuda-nos para que o teu convite se torne realidade

na vida de cada dia.

Ámen.

(In Qumran, e La Chiesa: tradução livre de Fr. José Augusto)