Encontro com a Palavra de Deus – II Domingo do Advento - ANO B

II DOMINGO DO ADVENTO – ANO B

    

                        6 dezembro 2020

 

AS LEITURAS DO DIA 

Is 40, 1-5.9-11: Preparai o caminho do Senhor.

Salmo 84: Mostrai-nos o vosso amor, dai-nos a vossa salvação.

2Pd 3, 8-14: Esperamos os novos céus e a nova terra.

Evangelho Mc 1, 1-8: Endireitai os caminhos do Senhor.

 

 

A PALAVRA É MEDITADA

Jesus, Cristo, Filho de Deus. Quem é para ti? Uma lembrança, uma personagem histórica, uma ideologia... ou então é uma pessoa de nome Jesus, o Redentor esperado desde o tempo da queda do homem no pecado, o Filho de Deus feito carne? Quem é para ti? A esperança que te faz caminhar, a rocha sobre a qual construir aquilo que és, a luz que ilumina as tuas escolhas? Quem é para ti Jesus? Um nome adorável diante do qual se prostra a tua inteligência, um olhar penetrante diante do qual te sentes profundamente amado na tua nudez e vergonha, um coração que bate de amor por ti? Quem é para ti Jesus?

Um objeto e um argumento sobre o qual especular ou então alguém diante do qual te sentes indigno de te inclinar para desatar os laços das suas sandálias? Ele te investe de misericórdia continuamente, te envolve do seu Espírito divino, deseja a tua companhia. E tu vais ao seu encontro? Hoje a voz de João como então grita no deserto: Preparai a estrada do Senhor, endireitai as suas veredas. Não se pode pretender conhecer e estar com o Senhor se se sobrevive. As exigências do amor pedem bem mais. João estava vestido com pelos de camelo, com uma cintura de pele à volta dos rins, comia gafanhotos e mel silvestre: uma figura que fala de essencialidade, de mínimo indispensável para viver para que a vida interior convirja toda para o Senhor.

Confessa os teus pecados, as tuas distâncias de Deus: reconhece que és digno de atenção não pelas coisas que te saem bem, não pelo sucesso que tens, não por aquilo que sabes fazer, nem pelo teu dar nas vistas, mas porque és tu, simplesmente tu, com os teus frágeis recursos, com as tuas incongruências, com as tuas angústias. Chegar a sentir-se pequenos é converter-se. Pequenos, quer dizer indefesos, incapazes de subsistir por si, necessitados de crescer... Deus fez-se pequeno. O homem é um pequeno. Porque é que te fazes grande? Só Deus é grande, realmente. Tu és e serás pequeno, mesmo se com Deus podes ser capaz de fazer maravilhas. Na graça tu tornas-te como Ele, mas só porque és feliz de ser pequeno. E então é Ele que opera em ti e através de ti.  

Maria, a Virgem santa, é uma pequena. Deus olhou para a pequenez da sua serva... que palavras mais belas para exprimir a alegria de se sentir guardados e amados pelo Pai? Como todos os operários do evangelho tu és chamado a ir à frente de Jesus para lhe preparar as estradas nas almas. Ele precisa de ti. Não deixes que a Palavra encontre caminhos esbarrados, a tua voz abra caminhos de vida no deserto, espaços de encontro com o Rei do universo que chega em vestes de criança. Que tu possas tomá-lo nos braços todos os dias!

 

A PALAVRA É REZADA

 

Jesus estou à tua espera: "Não tardes"

Espero-te, mas eu sei que tu vens procurar-me para trabalhar na tua vinha: esperam-te as crianças pobres que têm fome,

Faz que eu lhes leve o pão quotidiano do amor;

Esperam-te as pessoas que sofrem,

Faz que eu lhes leve o pão quotidiano da esperança,

Indo encontra-las e apertando-lhes as mãos;

Esperam-te tantos homens que têm tudo, mas não são felizes, porque não te têm a ti,

Faz que eu lhes leve o pão quotidiano da fé, que brilha como luz na noite do pecado.

Jesus estou a tua espera. "Não tardes".

Estou á tua espera, mas eu sei que tu vens procurar-me para trabalhar na obra do teu amor.

Ámen      

 

 

(In Qumran2.net, e La Chiesa.it: tradução livre de fr. José Augusto)