Encontro com a Palavra de Deus – XX Domingo do Tempo Comum - ANO A

XX DOMINGO TEMPO COMUM – ANO A

16 de Agosto 2020

AS LEITURAS DO DIA

Is 56, 1.6-7: Conduzirei os filhos dos estrangeiros ao meu santo monte.

Salmo 66: Louvado sejais, Senhor…

Rom 11, 13-15.29-32: Os dons de Deus para com Israel são irrevogáveis.

Evangelho Mt 15, 21-28: Mulher, é grande a tua fé.

 

A PALAVRA É MEDITADA

Espera numa cura, a mulher cananeia. Disseram-lhe que Jesus é um grande curador, alguém que realiza milagres extraordinários. Nem sequer sabe o que é a fé, não conhece a promessa de Israel, não se ocupa destas coisas. Sabe apenas que Jesus poderia curar a filha, e grita, faz um pouco de cena, esperando fazer enternecer este estrangeiro. Os apóstolos ficam embaraçados, tanta é a paixão com que ela procura atrair a atenção. Jesus, ao invés, nem se digna olhar para ela, e à sua distância, dá uma resposta cortante: não está certo deitar o pão dos filhos aos cachorrinhos. Que dureza! E, no entanto, esta dureza mexe com a mulher: tem razão, o Mestre, passamos o tempo longe de Deus, mas quando precisamos por causa de uma dor imprevista, por uma doença, logo descobrimos que somos devotos e começamos a dizer jaculatórias. Somos como cães quando tratamos Deus como um poderoso a corromper e não merecemos atenção. Deus deve-se ocupar dos seus filhos, daqueles que o escutam e o servem com verdade … Mas a mulher não se vai embora ofendida e a bofetada em cheio no rosto, abre-a ao confronto: sim, tem razão o Mestre. Basta esta atitude para fazer Jesus mudar de ideias...

 

A PALAVRA É REZADA

Meu Deus, toma-me pela mão, seguir-te-ei, não farei demasiada resistência. Não escaparei a nenhuma das coisas que me caírem em cima nesta vida, procurarei aceitar tudo e no modo melhor. Mas concede-me de vez em quando um breve momento de paz. Não pensarei mais na minha ingenuidade, que um tal momento deva durara em eterno, saberei também aceitar a inquietação e a luta. O calor e a segurança agradam-me, mas não me rebelarei se me tocar estar ao frio desde que tu me tenhas pela mão. Irei por todo o lado então, e procurarei não ter medo. E onde quer que me encontre, eu procurarei irradiar um pouco daquele amor, daquele verdadeiro amor pelos homens que trago dentro. Ámen

 

(In Qumran, e La Chiesa: tradução livre de fr. José Augusto)