Encontro com a Palavra de Deus – II Domingo do Advento – ANO B

II DOMINGO DO ADVENTO - ANO B  

    

10 de Dezembro de 2017

 

 

AS LEITURAS DO DIA 

Is 40, 1-5.9-11: Preparai o caminho do senhor.

Salmo 84: Mostrai-nos o vosso amor, dai-nos a vossa salvação.

2Pd3, 8-14: Esperamos novos céus e nova terra.

Evangelho: Mc 1, 1-8: Endireitai os caminhos do Senhor.

 

A PALAVRA É MEDITADA

"Início do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus".

"Evangelho”, isto é, "boa noticia". A Boa Noticia é Jesus, a Boa Noticia é que nele Deus Pai nos amou com um amor definitivo e incondicionado.

No centro da Boa Noticia está o mistério pascal da cruz e da ressurreição do Senhor: morrendo, destruiu a nossa morte, ressuscitando, restituiu-nos a vida. Eis o cume da Boa Noticia.

Desde que no sepulcro vazio os anjos, primeiros evangelizadores, anunciaram a Noa Noticia da ressurreição, o Evangelho continua o seu caminho na história.

Os apóstolos pregaram aquilo de que tinham sido testemunhas, quanto Jesus tinha dito e feito, a sua morte e ressurreição, "com aquela mais completa inteligência de que eles, formados pelos eventos gloriosos de Cristo e iluminados pela luz do Espirito de verdade, gozavam”

Depois de um certo tempo eles mesmos, ou os seus discípulos, quiseram pôr por escrito aquela pregação, "escolhendo algumas coisas entre as muitas transmitidas oralmente ou já por escrito, redigindo uma síntese das outras ou explicando-as com referência à situação das Igrejas" (Dei Verbum 19).

O Evangelho gera a Igreja, que é a comunidade daqueles que, em todo o tempo, reconhecem na Boa Noticia de Jesus o fundamento da sua vida. O Evangelho tem na Igreja um lugar único e uma importância toda especial.

Não pode haver sabedoria melhor, mais preciosa e mais luminosa que o Evangelho. Todo o cristão deve ler o Evangelho, meditá-lo, amá-lo, fazer dele o seu alimento, sobretudo nos tempos fortes do ano litúrgico.

Entre as três leituras da Missa dominical, ao Evangelho toca a atenção maior, e seria importante que cada um, durante a semana, o retomasse com calma por sua conta e procurasse, também indo aos dados recebidos na homilia, voltar a ler à sua luz a própria e concreta situação: o que é que me tem a dizer este texto evangélico, aqui e agora, com estes problemas, questões, etc.? Em que sentido ele é para mim uma Boa Noticia?

Mediante o seu Evangelho, Cristo aproxima-se de nós; ele é o caminho através do qual Jesus vem, domingo após domingo, ao longo de todo o ano litúrgico que agora iniciamos. Este ano seremos guiados por S. Marcos, o discípulo de Pedro: deixemo-nos conduzir para dentro do mistério de Jesus, colocando-nos à escuta da Boa Noticia, deixemo-nos sempre novamente "evangelizar": «Evangelizadora, a Igreja começa por se evangelizar a si mesma. Comunidade de crentes, comunidade de esperança vivida e participada, comunidade de amor fraterno, ela tem necessidade de escutar continuamente aquilo que deve acreditar, as razões da sua esperança, o mandamento novo do amor. Povo de Deus imerso no mundo, e muitas vezes tentado pelos ídolos, ela tem sempre necessidade de ouvir proclamar "as grandes obras de Deus", que a converteram ao Senhor, e ser novamente convocada e reunida por Ele. Isto quer dizer, numa palavra, que ela tem sempre necessidade de ser evangelizada, se quer conservar frescura, ardor e força para anunciar o Evangelho» (Paulo VI, Evangelii Nuntiandi 15).

 

 

A PALAVRA É REZADA

Tu vens ao nosso encontro, Jesus.

E fazes isto servindo-te de tantas ocasiões,

acontecimentos pequenos e grandes,  

de encontros ocasionais e imprevistos

que nos permitem encontrar  

um pouco daquela luz e daquela sabedoria  

de que és a nascente inesgotável.

Mas nós somos capazes de acrescentar mil obstáculos,

ao percurso que tu fazes para nos alcançar.

E tudo porque temos medo de ter que mudar,

de abandonar escolhas cómodas, itinerários demasiado batidos,

comportamentos incorrigiveis.

Assim escavamos buracos servindo-nos das nossas suspeitas,

dos nossos ciúmes, do nosso orgulho:

não aceitamos que tu te reveles de modo simples e resignado

através dos profetas do nosso tempo.

Entre ti e nós metemos obstáculos de toda a espécie:

temos pouco tempo, somos apanhados por mil coisas

e depois temos dificuldade até de confiar em ti.

Jesus, não permitas que num modo ou no outro,

te fechemos a porta do coração.

Tu vens a nós com o poder do Espirito  

que transforma a nossa frágil existência.

 Ámen.

 

 (In Qumran, e La Chiesa: tradução livre de fr. José Augusto)