Encontro com a Palavra de Deus – IX DOMINGO TEMPO COMUM – ANO B

IX DOMINGO TEMPO COMUM – ANO B

    

3 de Junho de 2018

 

AS LEITURAS DO DIA 

Deut 5, 12-15: Recorda-te que também foste escravo no Egipto.

Salmo 80: Exultai em Deus, que é o nosso auxilio. 

2Cor 4, 6-11: Manifesta-se no nosso corpo a vida de Jesus.

Evangelho Mc 2, 23-3,6: O Filho do homem é também Senhor do sábado.

 

A PALAVRA É MEDITADA

Lemos no livro do Deuteronómio 5,12-15: "Observa o dia de sábado para o santificares, como o Senhor teu Deus te ordenou. Durante seis dias trabalharás, mas o sétimo dia é o sábado para o Senhor teu Deus: não farás nenhum trabalho nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu escravo, nem a tua escrava, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem algum dos teus animais, nem o forasteiro que está dentro das tuas portas, para que o teu escravo e a tua escrava repousem contigo. Recorda-te que foste escravo no país do Egipto e que o Senhor te fez sair de lá com mão forte e braço estendido; por isso o Senhor teu Deus te ordena que observes o dia de sábado".

O sábado é o dia do repouso semanal, consagrado a Deus que repousou no sétimo dia da criação (cf. Gen 2,2-3; Ex 20,11).

A este motivo religioso, une-se uma preocupação humanitária: é necessário que os não-livres, os escravos, sintam pelo menos em cada sete dias a alegria da liberdade. Além disso, os israelitas devem recordar que são livres porque Deus os libertou da escravidão. O sábado é portanto uma festa-recordação, um memorial daquilo que Deus fez por eles e de como Deus quer o homem: quere-o livre.

"Os discípulos começaram a apanhar espigas". A Lei permitia explicitamente este gesto: "Se passas no meio da messe do teu próximo, poderás apanhar espigas com a mão, mas não meter a foice na messe do teu próximo" (Dt 23,26), porém, não fazia alusão ao sábado. A Mishnah (a lei oral, para a distinguir da escrita, isto é, a Bíblia) que codificou as leis sabáticas desenvolvidas pela tradição hebraica, elenca trinta e nove actividades proibidas, entre as quais figuram as actividades agrícolas, compreendido o rebusco. Era também precisado que não se podia arrancar espigas, mas só debulhá-las com os dedos.

Qual é a interpretação da lei que melhor revela as intenções de Deus, o rosto de Deus? Deus está do lado de Jesus. E jesus estabelece um princípio: "O sábado foi feito para o homem e não o homem para o sábado!".

No ambiente em que vivia Jesus, a lei valai bastante mais que o homem. Jesus não aboliu a lei, mas contestou as falsas interpretações da mesma e indicou o princípio que dá valor a toda a lei: a lei é para o homem.

Que nunca o tivesse feito! É conhecido, de facto, que o poder constituído faz, quase sempre, da lei a sua força. Ai de quem a toca! Quem toca morre! E Jesus morreu também, porque segundo eles, violava a lei do sábado.

"O sábado é feito par ao homem" significa antes de mais que toda alei, mesmo a mais sagrada, é para benefício do homem. Na criação tudo foi feito para o homem, inclusive o sábado que é figura do próprio Senhor da vida. O homem é para Deus porque Deus em primeiro é para o homem.

A liberdade de consciência de Jesus, que é verdadeira adesão à vontade de Deus, exprime um anúncio de salvação igualmente beatificante quanto o aquele que está contido nas palavras "o Filho do homem tem o poder de perdoar os pecados sobre a terra" (Mc 2,10). De facto, o perdão dos pecados e a libertação da sordidez humana exprimem igualmente bem o mesmo poder de salvação.

Os mandamentos de Deus foram dados por amor do homem, para o seu verdadeiro bem. Unicamente a consciência de uma responsabilidade relativamente a este Deus, a quem deveremos prestar contas de todas as acções e de cada nossa palavra (cf. 2Cor 5,10), nos dá também o direito a uma corajosa liberdade como a de Jesus.

 

A PALAVRA É REZADA

Bendito sejas Pai santo, porque Jesus nos libertou da escravidão

da mera letra da lei, para vivermos com atitudes de filhos

que se deixam guiar com alegria pelo teu Espirito

de amor e fidelidade.

Queremos gastar a nossa vida no teu serviço e no amor por ti

e pelos irmãos, santificando o teu nome e o teu dia sagrado.

Faz que vivamos a tua lei do domingo com sentido de festa,

com alma grata pela tua vontade e com espirito comunitário,

sentindo-nos necessitados de tudo isto,

mais do que obrigados pela lei.

Bendizemos-te, pai, pelo triunfo de Cristo ressusictado.

Ele foi o sim incondcional à tua vonatde.

Concede-nos que o imitemos

para poder celebrar contigo o eterno dia de festa.

 

Ámen.

 

 

 (In Qumran, e La Chiesa: tradução livre de fr. José Augusto)